O fim (1ª reflexão)


A terra tremeu tudo. O concreto veio a baixo. O que era não é mais. A lista do que não tinha, aumentou. Pobre não são mais, ainda não há definição para aquelas pessoas. Almas vagam pelas ruas, algumas vivas outras nem tanto. Já não se sabe ao certo quem é quem. Procuram um pão, uma água, uma esperança, uma razão para ficar de pé. Nada disso encontram. Diz a velha profecia: “No fim, os mortos andarão sobre a terra”. Acho que já começaram.

Continua amanhã...

Postagens mais visitadas