O mundo de JPFOX. Tecnologia do Blogger.

quarta-feira, 15 de abril de 2015

O Trovão Azul

Todo garoto brasileiro nascia com o desejo de ser jogador de futebol. Hoje os gostos mudaram e profissões mais vantajosas e gabaritadas ganharam espaço.
Quem não conseguia alcançar o estrelado com a bola, vivia de momentos no futebol amador. Pode perguntar a qualquer peladeiro de plantão e todos serão enfáticos em citar a melhor fase de sua carreira. Seja no campo de terra, na grama ou na quadra. Todos um dia foram vencedores.
O sinônimo de vitória pessoal e coletiva que guardarei pelo resto da vida é o período em que estivemos atuando na Sociedade Esportiva Trovão Azul. Um clube criado quase de brincadeira, regularizado às pressas na LIDER do Nonato para poder disputar o Raposense 98.
E assim foi. Bom enquanto durou e saudoso em nossos corações. A melhor fase de um jogador ele nunca esquece. De em quando se vê chutando vento a lembrar dos gostosos momentos que vivera outrora...
Obrigado por fazerem parte da minha galera!
Foto:
Em pé: Jota Filho, Dico (pai de Eliane e Cristiane), Sureco, Ailton Junior, Renato, Walmir, Roberto (Beto Padre), Oséias (Vovô), Bico e Zé Groselha (pai de Galego).
Agachados: Valdeci, Douglinha, CleitonEnilson, Formigão, Sanderlei (Tuquinho) e Geraldo (Lado).

Continue lendo >>

domingo, 9 de novembro de 2014

Carta ao grande Ailton Eloy

Pai,

Hoje faz 17 anos que você nos deixou. Durante todo esse tempo a saudade só vem aumentando. Tanta coisa tem acontecido e gostaríamos que estivesse aqui vivendo-as conosco.

Vou contar algumas novas deste ano que com certeza vai gostar de saber:

- Finalmente o Brasil sediou uma Copa do Mundo. Foi um sucesso (exceto pela surra que levamos da Alemanha em pleno Mineirão por 7 x 1).

- A Dilma foi reeleita presidente do Brasil. Não adianta pai. O povo ainda continua acreditando nas lorotas que Lula e sua turma dizem por aí.

- O nosso Cruzeiro está na bica para ser campeão brasileiro de novo. E na Copa do Brasil vamos decidir contra "aquele time". Levaremos as duas.

- Dani, Rafa e Bela estão todas bem. Acho que neste tempo consegui exercer um papel razoável de pai. Não como o senhor faria, mas fiz o possível.

- Mãe sente muita falta sua. Vamos levando a vida como dá. Um dia todos vamos nos encontrar.

- Ah... tem mais uma coisa: o senhor vai ser Vovô. Bolinha vem aí. Em abril ou maio do ano vem ele dá as caras neste nosso mundo trazendo alegria e luz para nossa família.

Me despeço reforçando a imensa saudade que sentimos de você.

Te amo pai!

Juninho

Continue lendo >>

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Por que nascer neste mundo?

Por que nascer neste mundo? Parece a princípio uma pergunta idiota e sem sentido, mas que carece de uma certa reflexão. O que leva um feto a querer participar de toda essa nossa brincadeira? Brincadeira é um termo para aliviar o sentimento ruim que temos quando nos atualizamos com as notícias do mundo de hoje.

Estamos à beira de uma Terceira Guerra Mundial. Os países travam uma ferrenha batalha para ocupar espaços, ganhar território e se expandir. Conquistar mais riquezas e assim dominar mais e mais. Aí o bebê que chega se pergunta: por que nascer neste mundo?

As doenças sem cura se proliferam e matam cada dia mais. Uma simples gripe por acabar com uma vida em questão de horas. Cientistas trabalham dia e noite para encontrar a cura. Se um dia isso acontecer outras já terão chegado. Aí o bebê que chega se pergunta: por que nascer neste mundo?

As drogas governam o planeta Terra. Substâncias químicas são mais importantes para grande parte da população mundial do que a própria água. Traficantes matam, acabam com famílias e disputam palmo a palmo o vício de pobres coitados. Aí o bebê que chega se pergunta: por que nascer neste mundo?

Hoje em dia se mata por causa de 10 reais. A vida humana não vale mais nada. Sair à rua é uma atividade perigosíssima em alguns lugares. A insegurança tomou conta do mundo. Aí o bebê que chega se pergunta: por que nascer neste mundo?

A resposta é simples. Não podemos desistir e nos esquivar nunca. Apesar do cenário sombrio e tenebroso que se evidencia, este mundo ainda tem jeito. Estas novas vidas que chegam a cada minuto são grãos de esperanças que renovam nosso desejo de dias melhores.

Não desista deste mundo.

Ame.

Traga novas vidas à este planeta.

A resposta para dias melhores pode estar entre tantos destes.

A humanidade agradece.

Continue lendo >>

domingo, 27 de julho de 2014

Em um mundo melhor

Tive a oportunidade de nesta madrugada assistir no SuperCine da Rede Globo o filme "Em um mundo melhor". Sinceramente achei que não passaria da primeira parte, mas a trama foi prendendo a minha atenção e era impossível desligar a tv e dormir (apesar do sono me chamar e muito).

Anton (Mikael Persbrandt) é um médico que trabalha em um campo de refugiados na África. Ele divide seu tempo entre os dias que passa trabalhando e outros em casa, em uma pacata cidade na Dinamarca. Anton tem dois filhos com Marianne (Trine Dyrholm), de quem está se separando contra a vontade. Elias (Markus Ryggard), seu filho mais velho, sofre com a perseguição no colégio de um garoto maior que ele. A situação muda quando conhece Christian (William Johnk Nielsen), que perdeu a mãe recentemente e acaba de se mudar para o local. Após defender Elias, Christian é agredido. Como vingança, dá uma surra no garoto e o ameaça com uma faca. A partir de então Elias e Christian se tornam grandes amigos. Só que um plano de vingança mais ousado coloca em risco a vida de ambos.

Sinopse do Site Adoro Cinema

A história tem como personagens principais dois garotos de aproximadamente 15 anos. Elias, que é perseguido na escola e Christian que acabará de se mudar com seu pai para a Dinamarca, depois do falecimento da mãe em decorrência de um câncer. O garoto é revoltado com todos e já nos primeiros dias de escola arruma uma confusão ao sair em defesa do já amigo Elias. A partir daí o que se vê é o surgimento de uma grande amizade que por muito pouco não acaba em morte de ambos os garotos.


Anton (pai de Elias), vive entre o Sudão, onde é médico humanitário e a Dinamarca, onde está se separando da esposa e acompanhando o crescimento de seus filhos. O pai de Christian, por sua vez, assiste a revolta do filho aumentar mais e mais pela perda da mãe.


O filme apresenta diversos aspectos da vida de um ser humano: raiva, vingança, amor, ódio e quanto os acontecimentos a nossa volta vão moldando nosso jeito de ser. É uma boa pedida para quem nunca viu e se interessou pela pequena descrição da trama.

Mais informações sobre o filme: Em um mundo melhor - Adoro Cinema

Continue lendo >>

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Domingo na quadra do Ideal


Domingo pela manhã era "de lei" sair atrás desta turma para vê-los bater uma bolinha na quadra do Ideal. 

Era meados dos anos 80 e a chama do futebol começava a pegar fogo no meu peito. Chutar uma bola era meu sonho de consumo. Naquele tempo um bom presente de Natal era uma bola de futebol para os meninos e uma boneca para as meninas. Acompanhar meu pai era minha sina. Ia atrás dele no futebol, no bar, onde ele fosse estava lá eu, pois nossos gostos eram e são os mesmos. Ele já se foi e a pessoa que mais se parece com Ailton Eloy neste mundo de hoje é o outro Ailton. O amor pelo Cruzeiro, pela bola e pela cerveja são genéticos e certeiros. 

O meu momento nesta peladinha de domingo na falecida quadra do Ideal era tão somente bater bola no gol na hora do intervalo. Isso me bastava, era o ápice, era o que eu queria. Ser igual ao meu pai. Acho que estou conseguindo...

Equipe: Em pé - Formigão, Tavinho (kkkkkk), Ailton Eloy (meu pai) e um barbudo que não conheço. Agachados - Toninho Bicota e Bichin.

Continue lendo >>

segunda-feira, 14 de julho de 2014

O efeito Podolski


Por que ele gostou tanto do Brasil quando na verdade muito de nós não estamos nem aí?

Por que ele falou bem do Brasil quando nós só queremos escurraçar nossa terra?

Por que mesmo sem jogar devido a uma lesão ele se tornou o maior brasileiro desta Copa?

Sinceramente não sei.

Pode ser que ele viu algo que nos cegam diariamente por haver diversos problemas que nos atormenta a toda hora.

Pode ser porque na Alemanha não é necessário marcar uma ficha médica e se consultar só daqui a três meses ou levantar as 4 da manhã para pegar 3 conduções e ir trabalhar.

Pode ser que ele viu somente o Brasil bonito e lhe esqueceram de mostrar o Brasil feio. Esse é só nosso e ninguém tasca.

Mesmo assim, obrigado Podolski!

Volte um dia que lhe mostraremos o resto do país.

Continue lendo >>

quarta-feira, 9 de julho de 2014

O isqueiro da bandeira


O mesmo isqueiro que queima a bandeira, é o que toca fogo no ônibus deixando milhares de pessoas sem condução pra ir trabalhar.

O mesmo isqueiro que queima a bandeira, é o que acende o cigarro de maconha pra dar coragem de roubar e matar.

O mesmo isqueiro que queima a bandeira, é o que põe fogo em moradores de rua na madrugada só pra se divertir depois da balada.

O mesmo isqueiro que queima a bandeira, é o que usamos pra colocar a churrasqueira pra queimar carne no dia da eleição, depois de nem se lembrar em quem votou.

O mesmo isqueiro que queima a bandeira, perde a carga e apaga a chama para os momentos que realmente precisamos dele.

Continue lendo >>

quinta-feira, 3 de julho de 2014

Os dois lados da mesma moeda


Reclamamos quando todo mundo reclama.
Calamos quando todo mundo cala.
Rimos quando todo mundo ri.
E choramos quando todo mundo chora.

Enfim...

Somos o que querem que sejamos.

Continue lendo >>

Memória futebolística

Lembro-me como se fosse ontem. Uma bola com o couro despedaçado deixando a câmara de ar à mostra. Nos pés não havia chuteira, kichute, nem sequer um tênis arrebentado. A peleja era jogada com os atletas descalços. Um time era os "de camisas" e o outro os "sem camisas". A trave era de pau. Marcações de lateral, grande área e meio-campo, nem pensar. Juiz? Pra quê? As regras eram nossas, quem marcava falta era quem se sentia agredido. Se permitida a mesma era cobrada. O gol, momento mágico do futebol, para nós era o êxtase máximo de quem jogava por prazer e sonhava um dia jogar uma Copa do Mundo, mesmo que esse mundo se resumisse ao próprio bairro. O futebol é a nossa raiz, é nossa cara, nossa alma. Por isso amamos tanto esse jogo bobo em que a bola vai pra lá e pra cá e o coração quase sai pela boca quando a pelota acha a "casinha" protegida pelo goleiro vilão.

Continue lendo >>

quarta-feira, 25 de junho de 2014

A outra Copa


Muito tem se falado sobre turismo sexual, prostituição e procura incessante dos estrangeiros por garotas brasileiras neste período de Copa.

Mas o que não podemos esquecer é que o outro lado também existe. Sendo a mulher maior de idade, em sã consciência de seus atos e sabedora de suas responsabilidades, não vejo nenhum mal nestes relacionamentos. O que deve evitar e denunciar é o uso de menores nestes atos.

Uma coisa que pouca gente se lembra e nota é que muitas vezes o primeiro contato é feito pelas brasileiras. Algo normal e sem problemas.

De resto sendo uma relação prazerosa e consensual sou de opinião favorável ao divertimento e romances esporádicos.

Continue lendo >>
Related Posts with Thumbnails

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO