Os jogadores de futebol do Brasil que NÃO são mascarados

Após da repercussão do post “Os jogadores de futebol mais mascarados do Brasil”, me senti quase que na obrigação de mostrar o outro lado. É sabido que aproximadamente 95% dos jogadores da atualidade não são mascarados e a minha seleção deles está aqui.

Ninguém é obrigado a concordar com a lista, cada um tem uma opinião. Caso não goste, deixe seu comentário mostrando argumentos e educação, de preferência deixando o nome. Xingar sendo anônimo é muito fácil.


Goleiro: Marcos (Palmeiras) – Já ganhou tudo o que um jogador pode ganhar. Teve uma chance no passado de se transferir para o Arsenal, mas não quis. Caiu com o Palmeiras para a série B e ajudou a equipe a retornar. É o símbolo do time do Parque Antártica, mas nunca utilizou para benefício pessoal. É um exemplo de jogador admirado até mesmo pelos rivais.


Lateral-direito: Jonathan (Cruzeiro) – Foi o jogador mais vaiado do Cruzeiro até o ano passado. A torcida não podia nem ouvir seu nome que já se manifestava. O lateral nunca foi às câmeras reclamar desta situação, somente trabalhou, trabalhou e o hoje é um dos jogadores mais importantes do time, responsável pelas principais jogadas de cruzamento.


Zagueiro: William (Corinthians) – O capitão do Timão pode até passar desapercebido para alguns, mas com seu jeito peculiar comanda o time em todas as partidas.



Zagueiro: Ronaldo Angelim (Flamengo) – Em uma equipe onde quase todos os dias estoura uma bomba, o zagueiro Ronaldo Angelim parece ser o mais sensato do time e nunca cai de produção. Com muita categoria e humildade.



Lateral-esquerdo: Junior (Atlético/MG) – Na lateral ou no meio-campo, o baixinho do Atlético está sempre disposto a ajudar. Um jogador pentacampeão do mundo que não tem frescura e joga com muita sabedoria.



Volante: Marquinhos Paraná (Cruzeiro) – Como quem não quer nada Marquinhos chegou ao Cruzeiro sem ninguém notar. No time de Adilson Batista já jogou de volante, meia, lateral-esquerdo, lateral-direito e zagueiro, sempre com muita categoria. Para muitos (inclusive eu), é o jogador mais importante e regular da equipe celeste.


Volante: Kleberson (Flamengo) – O pentacampeão nem precisou da forcinha da mídia como outros para voltar à Seleção. Jogando o fino da bola voltou por seus próprios esforços. Grande jogador.




Meia: Elias (Corinthians) – É o dono do meio-campo corintiano. Ajuda na marcação e ainda arma o jogo bem melhor que o Douglas. Consegue ser o elemento surpresa com bastante velocidade e habilidade. Não faz média para a mídia, por isso aparece pouco para o grande público.


Meia: Cleiton Xavier (Palmeiras) – Joga em o Luxa pedir com muita voluntariedade e categoria. É o maestro do Verdão e salvador da pátria nos momentos difíceis.



Atacante: Nilmar (Internacional) – Na primeira rodada do Brasileiro fez um gol de Pelé ou Maradona e com toda sua simplicidade ofereceu o gol à sua mãe. Jogador de habilidade estrondosa, sempre dribla para frente, em direção ao gol. Mostrando que é possível mostrar técnica e ser objetivo ao mesmo tempo.




Atacante: Keirisson (Palmeiras) – O K9 como é conhecido o atacante é o mesmo que saiu do Coxa. Mudou para uma equipe maior, ganha mais dinheiro, mas mantém a mesma serenidade e humildade dos tempos de Paraná. Começou bem o ano, teve uma baixa de qualidade normal, mas nunca foi às câmeras chutar o balde. Craque em todos os sentidos.

Técnico: Ney Franco (Botafogo) – Longe dos holofotes como outros técnicos, Ney Franco conseguiu verdadeiros milagres: quando ninguém conhecia o Ipatinga nem mesmo em Minas Gerais, levou o time a ser campeão mineiro em um ano e vice em outro. Em seguida ressuscitou o Flamengo e agora faz um ótimo trabalho no limitadíssimo time do Botafogo. Para terminar ainda tem uma banda de rock. Isso que é técnico.

Postagens mais visitadas